30/01
2017

Apaixonados por Valadares

Mais um ano comemora a Princesinha do Vale, apelido carinhoso que Governador Valadares recebeu por ser a maior cidade banhada pelo Rio Doce. Voc√™ j√° deve ter percebido neste blog que sempre destacamos o que h√° de melhor por aqui, n√£o √© mesmo? Mas al√©m de pontos tur√≠sticos, eventos e as possibilidades que temos nas √°reas do esporte, cultura e lazer, algo a mais faz com que os valadarenses sejam apaixonados por essa cidade. √Č dif√≠cil explicar o caso de amor entre popula√ß√£o e munic√≠pio. Por isso recorremos a tr√™s valadarenses de naturalidade e cora√ß√£o que contaram ao nosso blog porque amam Valadares.

“”Governador Valadares √© minha cidade natal, aqui comecei a tocar meu viol√£o no col√©gio aos 8 anos de idade, me profissionalizei e fui feliz com o reconhecimento do p√ļblico local que me tem imenso carinho, s√≥ tenho a agradecer. N√£o vou dizer que n√£o temos problemas, claro que temos, mas s√£o problemas da mesma ordem que ter√≠amos em ouros lugares, portanto, aqui √© meu lugar e n√£o tenho o que reclamar de minha carreira musical, tenho um p√ļblico fiel e n√£o precisei cair no mal gosto musical pra sobreviver. E viva a boa m√ļsica! O que me faz amar GV √© como amar a m√£e, incondicionalmente a gente ama, ainda mais quando se tem uma m√£ezona como nossa Princesinha do Vale, pena estar abandonada e descuidada, mas isso √© outro assunto!” (Marcelo Tiradentes – M√ļsico)
“Gosto do lugar que vivo, apesar das dificuldades que h√° em nossa comunidade, considerada como um territ√≥rio de alta vulnerabilidade social, com s√©rios problemas de infraestrutura. Aqui conhe√ßo boa parte dos moradores e tenho la√ßos de amizades. N√£o sei dizer porque amo Valadares. Mas, quando fico fora, sinto falta da conversa com os amigos na rua, que se estende at√© altas horas, da molecada brincando, do vento que corre fresco e da vista da cidade que s√≥ o esse pedacinho de terra tem. Espero poder contribuir para que o Carapina, assim como toda Valadares, se torne um lugar cada dia melhor para viver” (S√©rgio Souza – Advogado e um dos l√≠deres da comunidade do Carapina)

“N√£o sei ao certo o que me fez ficar por aqui, em Governador Valadares. Deve ser a √°gua do Rio Doce. Dizem que quem bebe dessa √°gua cria ra√≠zes por aqui, mesmo n√£o sendo nativo. E, como sou nativo, aumenta ainda mais esse poder. Pode ser tamb√©m o calor, ou o magnetismo da Ibituruna, ou a facilidade de andar em ruas cujo tra√ßado √© quase exato. Talvez n√£o seja nada disso, apenas o fato de ser eu uma pessoa que se acostumou √† vida nada agitada que h√° por aqui. Mesmo assim, sou uma esp√©cie de cidad√£o do mundo, fa√ßo trabalhos para gente do Rio, S√£o Paulo, Florian√≥polis, Boston, Houston, Alpercata, Belo Horizonte e por a√≠ vai…”(Tim Filho – Jornalista)

Um m√ļsico, um advogado e um jornalista. O que h√° de comum entre eles? Marcelo n√£o apenas gosta de m√ļsica, ele faz m√ļsica. S√©rgio, como l√≠der comunit√°rio, n√£o apenas gosta de projetos sociais, ele participa ativamente de projetos sociais -mais especificamente na comunidade do Carapina. Tim n√£o apenas gosta de jornalismo, ele faz jornalismo. E assim os tr√™s constroem, dia ap√≥s dia, a aniversariante que completa hoje 79 anos. Parab√©ns, Valadares!

 

Coment√°rios

Newsletter